Vice-presidente americano é recebido no Iraque com salva de obus

Uma visita surpresa ao Iraque do vice-presidente norte-americano Joe Biden, destinada a acelerar a reconciliação nacional, começou nesta terça-feira marcada pela queda de vários obuses de morteiro nas imediações da embaixada norte-americana em Bagdá na Zona Verde.

AFP |

Quatro obuses caíram a cem metros da embaixada, segundo um membro do Ministério do Interior. Um jornalista da AFP presente diante da embaixada viu dois deles serem abatidos.

Um repórter que viajava com Biden afirmou que várias sirenes tinham sido acionadas, mas que o vice-presidente estava são e salvo.

O vice-presidente chegou ao Iraque para tentar novamente fazer avançar uma reconciliação nacional estagnada, sobretudo em razão da disputa territorial entre a região autônoma do Curdistão e Bagdá.

Durante esta visita, ele deve se reunir com o presidente iraquiano Jalal Talabani, com o primeiro-ministro Nuri al-Maliki e com diversas autoridades iraquianas.

Biden afirmou aos jornalistas que foi ao Iraque para "escutar". "Eleições bem-sucedidas são uma condição essencial para chegarmos a uma solução para as questões políticas em suspenso", acrescentou, referindo-se às eleições legislativas de janeiro de 2010.

As eleições legislativas, as primeiras desde 2005, desenharão o panorama político do Iraque para os próximos anos, no momento em que os soldados norte-americanos se retiram progressivamente do país para concluir o processo em 2011.

Washington se preocupa principalmente com a questão de Kirkuk, uma cidade do norte rica em petróleo. As autoridades locais curdas pretendem anexar a cidade ao seu território, o que Bagdá recusa.

Em diversas zonas fronteiriças do Curdistão, incidentes se multiplicam entre as forças de segurança curdas, os Peshmergas, e o Exército iraquiano, suscitando temores de eclosão de um conflito armado.

Entre os outros temas de tensão, estão a integração dos diferentes grupos étnicos e religiosos e a lei sobre a divisão das riquezas petrolíferas que ainda não foi votada.

bur-mel/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG