O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, faz nesta sexta-feira uma visita relâmpago a Beirute, duas semanas antes das eleições legislativas cruciais que podem ser vencidas pelo movimento radical xiita Hezbollah.

Biden, na primeira visita de uma autoridade americana deste nível desde 1983, desembarcou às 11H45 (5H45 de Brasília) no aeroporto de Beirute e seguiu de helicóptero para o palácio presidencial para um encontro com o presidente libanês Michel Suleiman, com o primeiro-ministro Fuad Siniora e com o presidente do Parlamente, Nabih Berri.

O vice-presidente americano afirmou pouco depois de chegar ao país que avaliará o programa de ajudas ao Líbano em função das políticas do novo governo, que sairá das urnas após as eleições de 7 de junho.

O Hezbollah criticou a visita, a primeira de um vice-presidente americano desde a de George Bush pai em 1983, após o ataque a um quartel de marines americanos que matou 214 pessoas. O atentado foi atribuído por Washington ao grupo islamita.

As eleições de junho podem dar a vitóri à atual minoria parlamentar dirigida pelo partido xiita e apoiada por Síria e Irã.

O Hezbollah, que prega a luta contra Israel, é considerado um grupo terrorista por Washington, assim como o grupo palestino Hamas que controla a Faixa de Gaza.

Washington condiciona qualquer diálogo com estes grupos a dois fatores: renunciar à violência e reconhecer o Estado de Israel.

bur-ram/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.