La Paz, 2 abr (EFE).- O vice-presidente da Bolívia, Álvaro García Linera, afirmou hoje que nenhum dos candidatos que concorrem às eleições regionais e municipais que serão realizadas neste domingo devem alcançar a votação atingida pelo líder Evo Morales em dezembro.

"Ninguém pode alcançar a votação presidencial (...) É metafisicamente impossível porque o presidente é uma liderança extraordinária", disse García Linera aos meios de comunicação.

Morales, que foi reeleito no dia 6 de dezembro com mais de 64% dos votos, expressou seu desejo que o governista Movimento Ao Socialismo (MAS) obtenha ao menos 70% de apoio neste domingo.

García Linera disse que para ter uma ideia do apoio que o MAS terá nas eleições de domingo, é preciso comparar o número de Prefeituras e governos obtidas pelo partido no pleito de 2004 e 2005, respectivamente.

Acrescentou que os governistas estão "muito confiantes de (conseguir) uma grande ascensão" nestas eleições municipais e regionais com relação aos processos anteriores.

No dia 4 de abril os bolivianos escolhem nove governadores, 144 deputados departamentais, 337 prefeitos, 1.887 vereadores, 23 autoridades indígenas de caráter local e também os subgovernadores provinciais e corregedores.

Segundo a última pesquisa eleitoral publicado nesta semana, o partido de Morales ganharia as eleições regionais em quatro dos nove departamentos da Bolívia e alcançaria o triunfo somente em três Prefeituras das dez principais cidades do país.

A Corte Nacional Eleitoral (CNE) e o Ministério de Governo (Interior) se reuniram hoje para coordenar os detalhes finais da operação e garantir a segurança e o desenvolvimento pacífico da votação. Para isso, 35 mil policiais foram mobilizados em todo o país. EFE gb/pb

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.