Vice-premiê tcheco admite que crise no país prejudica Tratado de Lisboa

Estrasburgo (França), 25 mar (EFE).- O vice-primeiro-ministro tcheco, Aleksandr Vondra, afirmou hoje que a crise política no país complica a ratificação do Tratado de Lisboa, e advertiu de que sua aprovação no Senado de Praga não vai ser fácil.

EFE |

A entrada em vigor do novo Tratado da UE precisa da aprovação definitiva na República Tcheca e de um segundo plebiscito na Irlanda, cujos cidadãos rejeitaram o texto na primeira consulta.

Em entrevista coletiva após discursar no plenário do Parlamento Europeu, Vondra assegurou que o processo de ratificação "continuará" na República Tcheca, mas não quis "especular" sobre o impacto que a moção de censura aprovada na terça-feira contra o Governo pode ter sobre a questão.

"Esperamos a votação no Senado e sabemos que a situação não vai ser fácil", admitiu, mas procurou reiterar que o Executivo fará "todo o possível para cumprir seus compromissos".

O presidente do Parlamento Europeu, Hans-Gert Pöttering, também considerou que, com a queda do Governo liderado por Mirek Topolanek, "a situação é mais difícil", mas confiou em que o primeiro-ministro "fará seu trabalho".

"Seria trágico para a Europa se o Tratado fracassasse", ressaltou. EFE mvs/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG