Moscou, 20 mar (EFE).- O vice-primeiro-ministro russo, Igor Shuvalov, disse hoje que, na próxima cúpula do Grupo dos Vinte (G20, os países ricos e os principais emergentes), em Londres, os participantes deveriam chegar a um acordo para moderar suas medidas de protecionismo, a fim de propiciar a recuperação da economia mundial.

"Os programas anticrise em todas as partes contêm medidas protecionistas. Se isso continuar assim por muito tempo, a recessão e a depressão serão inevitáveis", disse Shuvalov, durante um café da manhã com um grupo de jornalistas estrangeiros.

Portanto, "as medidas protecionistas de caráter nacional devem ser muito moderadas".

"Não queremos uma vitória para a Rússia, Estados Unidos ou China, queremos uma vitória comum e precisamos, portanto, decisões e ações comuns", ressaltou o vice-primeiro-ministro russo.

Shuvalov disse que seria ingênuo esperar resultados imediatos da próxima cúpula do G20.

"Será necessária toda uma rede de reuniões ao longo de um ano ou dois, até que sejam preparados documentos concretos", advertiu.

Como resultado, as instituições internacionais "deverão se assentar sobre novos princípios" e o sistema de relações econômicas internacionais "deverá ser regulado" por organismos supranacionais.

Os países cujas divisas tenham caráter de reservas internacionais deverão responder a toda uma série de exigências macroeconômicas, cujo cumprimento deverá ser controlado por organismos supranacionais, disse, e deu como exemplo a União Europeia (UE) e o euro. EFE mb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.