Por Tim Castle LONDRES (Reuters) - O vice-prefeito de Londres, Ray Lewis, deixou seu cargo nesta sexta-feira, culpando a pressão da imprensa após acusações sobre o seu passado.

'Hoje submeti minha renúncia ao prefeito, que, com muito pesar, a aceitou', disse.

A renúncia será vista como um golpe embaraçoso para o prefeito Boris Johnson, menos de um mês depois que seu vice-chefe de gabinete ser forçado a renunciar por conta de comentários considerados depreciativos sobre caribenhos.

Johnson anunciou na quinta-feira que estava lançando uma investigação sobre as alegações da imprensa de que Lewis teria tido conduta sexual e financeira impróprias. Lewis é um padre da Igreja Anglicana nascido na Guiana e que dirige uma instituição de caridade para jovens negros.

Lewis negou as acusações, classificando-as como 'uma besteira completa', em uma coletiva de imprensa organizada às pressas com Johnson ao seu lado no escritório do prefeito.

Johnson disse que tinha toda confiança em seu vice, mas pouco mais de 24 horas depois Lewis estava de volta na mesma sala para anunciar sua renúncia.

'A investigação fez muito pouco para acalmar a avalanche de alegações', disse.

'Não posso permitir que coisas nas quais estive envolvido, ou que me envolvem, ocultem o importante ofício da Prefeitura e por isso eu preciso renunciar ao cargo de vice-prefeito imediatamente.

A Igreja Anglicana disse na quinta-feira que Lewis tinha sido proibido de atuar como padre na Inglaterra entre 1999 e 2005, depois de ter trabalhado na diocese de Chelmsford, no leste de Londres, nos anos 1990.

Lewis afirmou que não sabia da proibição.

(Reportagem adicional de Jeremy Lovell)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.