Vice-ministro cubano critica flexibilização do embargo dos EUA

Havana, 20 mar (EFE).- O vice-ministro de Comércio Exterior e Investimento Estrangeiro cubano, Ricardo Guerrero, qualificou hoje de gesto minúsculo o alívio do embargo à ilha incluído na lei de orçamento dos Estados Unidos, e acrescentou que Havana espera novas medidas e um gesto superior.

EFE |

"Esperamos um gesto a mais, um gesto superior e um gesto de diálogo, como propôs nosso general presidente", Raúl Castro, disse a jornalistas o primeiro funcionário cubano a fazer referência ao tema.

O vice-ministro acrescentou que Havana espera "que venham novas medidas, porque o fundamental é que se levante o injusto embargo" que os Estados Unidos aplicam contra a ilha desde 1962.

Segundo Guerrero, a decisão do presidente americano, Barack Obama, de reduzir as restrições aos cubano-americanos para viajar à ilha era algo "absolutamente indispensável", pois as normas vigentes eram "discriminatórias", "injustas" e "tendiam a separar a família cubana".

A nova lei orçamentária americana, assinada há duas semanas por Obama, inclui medidas que flexibilizam as regulações para viajar e enviar medicamentos e alimentos a Cuba.

Guerrero lembrou que o comércio com os Estados Unidos ainda é "unidirecional", porque Cuba pode "comprar com muitas condições, com muitas restrições", mas não pode exportar ao país. EFE arj/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG