La Paz, 30 mar (EFE).- O vice-ministro de Autonomias e ex-ministro de Hidrocarbonetos da Bolívia, Saúl Ávalos, afirmou hoje que foi vítima de um atentado com dinamite contra sua casa na cidade de Santa Cruz.

Ávalos denunciou "um atentado criminoso" para acabar com sua vida, que "deixou um buraco na varanda de mais ou menos um metro de diâmetro e 20 centímetros de profundidade, além de destruir todos os vidros da frente da casa".

O vice-ministro assegurou à rádio estatal "Patria Nueva" que os autores do atentado queriam matá-lo, por causa da potência do explosivo utilizado e porque a bomba "continha pedaços de arames e latas".

"Eles não queriam apenas me amedrontar, como nas outras duas vezes", disse Ávalos, citado pela agência estatal "ABI".

O vice-ministro boliviano já havia denunciado em duas ocasiões atentados contra sua casa.

Segundo o funcionário, o atentado "parece ter sido motivado pela intolerância dos oponentes políticos".

Santa Cruz é capital do departamento de mesmo nome, reduto da oposição autonomista ao Governo de Evo Morales e palco no ano passado - junto com outras províncias do leste do país - de violentos protestos contra o Executivo central.

"Sou de Santa Cruz. Nasci e cresci aqui. Vou acompanhar o presidente Evo Morales no atual processo revolucionário, porque me considero um soldado da revolução", disse.

Além disso, anunciou que solicitará garantias de proteção para ele e para sua família ao governador do departamento de Santa Cruz, o opositor Rubén Costas. EFE az/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.