ANCHORAGE - A idéia bem que lhe rendeu aplausos no seu primeiro discurso como candidata republicana a vice-presidente, mas a governadora do Alaska, Sarah Palin, irritou muita gente no seu Estado ao declarar que rejeitou uma verba parlamentar que seria usada para construir uma ponte para lugar nenhum.

Em seu primeiro discurso como vice do candidato republicano à Presidência, John McCain, a governadora disse ter afirmado ao Congresso: 'Não, obrigada, à ponte para lugar nenhum.'

Na cidade de Ketchikan, onde ficaria a tal ponte, líderes democratas e republicanos disseram que a afirmação é falsa e que a comunidade se sente traída, já que ela havia manifestado apoio à ponte durante sua campanha ao governo.

A ponte uniria Ketchikan à ilha Gravina, onde há poucas dezenas de moradores. Em 2005, o Congresso liberou 223 milhões de dólares para a obra, o que levou críticos -- entre eles McCain -- a citar o projeto como exemplo de desperdício de verbas públicas em emendas clientelistas.

Quando disputava o governo do Alaska, em 2006, Palin se mostrou indignada com o termo 'ponte para lugar nenhum', segundo o prefeito democrata de Ketchikan, Bob Weinstein, e seu rival republicano Mike Elerding, que foi coordenador da campanha de Palin nessa cidade do sudeste do Alasca.

'As pessoas estão descobrindo que ela se aproveitou de nós ao dizer 'sou a favor disso', e aí quando ela achou que seria politicamente vantajoso em nível nacional, de repente ela começa a usar o próprio termo que considerava insultante', disse Weinstein.

A porta-voz de Palin no Alaska não foi imediatamente localizada para comentar.

Por causa das críticas no resto dos EUA, o Congresso cancelou a verba para a ponte, mas o Alaska ainda assim recebeu uma verba equivalente para usar como quisesse no setor de transportes.

Em 2007, Palin anunciou a suspensão do projeto, decisão que projetou no resto dos EUA a imagem de uma política sensata e reformista.

Weinstein e Elerding dizem que o Estado, mesmo desistindo da obra, nunca devolveu o dinheiro destinado à ponte da ilha Gravina. Na verdade, segundo Weinstein, o Alaska gastou 'dezenas de milhões de dólares' em verbas federais para começar a construir uma estrada na ilha, dando acesso à ponte que afinal não existiria.

'Ela disse 'não, obrigada', mas manteve o dinheiro', disse Elerding.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.