Vice de Lugo defende nomeação de seu irmão para cargo público

Assunção, 8 jun (EFE).- O vice-presidente eleito do Paraguai, Federico Franco, que assumirá o poder com o ex-bispo Fernando Lugo em 15 de agosto, defendeu hoje a nomeação de um de seus irmãos para um cargo público, apesar de este ter renunciado ao cargo.

EFE |

"Caso a nomeação fosse para uma pessoa que não tem capacidade (...), que não está preparada ou que é desonesta, estaria de acordo (com as críticas)", declarou Franco que também defendeu que a designação de seu irmão, o advogado Carlos Alberto Franco, não proveio dele nem de Lugo, mas "do atual Governo".

No entanto, o irmão do vice-presidente eleito teve que renunciar no dia primeiro de junho como funcionário da Entidade Binacional Yacyretá (EBY), que administra a hidroelétrica paraguaio-argentina de mesmo nome, por causa das pressões e das denúncias de um suposto nepotismo pela imprensa local.

"É uma situação lamentável, mas demonstra que meu irmão está renunciando pelo fato de ter um sobrenome que lhe impossibilita" de exercer um cargo público, declarou Franco após uma reunião que manteve com seus irmãos e pouco após sua chegada a Assunção, vindo de Israel.

A EBY também contratou Ángel Pompeyo Maidana Lugo, sobrinho do presidente eleito.

Ante esta situação, o futuro governante expressou na sexta-feira passada que não "teve nada a ver" com a nomeação de seu sobrinho e defendeu: "também não farei nada para que isto mude".

Lugo delegou a responsabilidade ao diretor paraguaio da EBY, Paul Sarubi, para que este decida se a designação de seu parente segue a lei.

Devido à grande repercussão dos dois casos na imprensa, dirigentes da Aliança Patriótica para a Mudança (APC), coalizão que apoiou Lugo nas eleições gerais de 20 de abril passado, mantiveram hoje uma reunião e anunciaram que em breve se pronunciarão oficialmente. EFE rg/bm/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG