Vice colombiano defende Corte que negou extradição de membro das Farc aos EUA

Bogotá, 7 mar (EFE).- O vice-presidente da Colômbia, Francisco Santos, admitiu hoje sua preocupação com um eventual protesto dos Estados Unidos perante a recusa da Justiça colombiana de extraditar um dos carcereiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

EFE |

"Na Colômbia, sabemos que a extradição é uma parte fundamental de nossa política de luta contra o crime organizado. Qualquer decisão que enfraqueça esse mecanismo sem dúvida dá aos criminosos um pequeno alívio", afirmou Santos.

Ele se referiu à recusa da Suprema Corte de Justiça de extraditar Alexander Farfán Suárez, conhecido como "Gafas" e um dos carcereiros das Farc, aos Estados Unidos.

"Gafas" foi detido, junto a "César", na "Operação Xeque", na qual foram resgatados ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt e os americanos Keith Stansell, Thomas Howes e Marc Gonsalves.

No marco de um encontro com parentes de vítimas de desaparecidos na localidade de Apartadó, noroeste, Santos acrescentou que o Executivo respeita a decisão da Corte, e insistiu em que "a visão do Governo é que a extradição é parte fundamental da luta" contra o crime organizado e o terrorismo. EFE rrm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG