Vestígios de água são encontrados na superfície da Lua

Os vestígios de água encontrados nas rochas da Lua remontam à superfície do satélite terrestre há 3 bilhões de anos, afirmam três geólogos em um estudo publicado na revista Nature.

AFP |

Os cientistas analisaram amostras de rochas vulcânicas, recolhidas durante as missões Apollo 11,15 e 17, que não apresentavam as características geoquímicas de meteoritos ou de cometas, mas que continham, no entanto, toda uma variedade de elementos voláteis, entre eles a água.

Até hoje, acreditava-se que os supostos vestígios de água perto dos pólos da Lua tinham origem no impacto de meteoritos ou cometas.

Erik Hauri, do instituto Carnegie em Washington, e seus colegas, chegaram à conclusão que havia água na superfície das amostras graças a um novo método de espectometria de massa, que permite identificar a presença de água em quantidades mínimas.

Os geólogos calcularam depois que o manto e a superfície da Lua deviam conter uma quantidade de água semelhante à da Terra durante sua formação, há 4,5 bilhões de anos.

"Esses resultados geram várias perguntas", escreveu em um comentário na revista Nature o geólogo francês Marc Chaussidon. "Em que se transformou esta água da formação da Lua? E se a Lua não foi criada seca, de onde vinha a água?".

Atualmente, a maioria da água lunar evaporou por causa das elevadas temperaturas diurnas na superfície do satélite, que podem superar os 100 graus Celsius.

boc/ap/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG