Vereadores de cidade atacada pelas Farc ameaçam renunciar

Bogotá, 30 mai (EFE).- Os vereadores da cidade colombiana de Garzón (sul) ameaçaram hoje renunciar a suas cadeiras, em resposta ao ataque no qual as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) seqüestraram um de seus colegas e mataram um soldado, um policial e dois vigias.

EFE |

O presidente da Câmara de Vereadores do município, Joselito Guevara, disse a rádios locais que a renúncia é cogitada pelos outros 14 legisladores locais e que um documento já foi redigido comunicando a demissão coletiva.

"A verdade é que nós não temos garantias e tomamos essa decisão", declarou Guevara momentos antes de uma reunião de segurança convocada pelas autoridades regionais.

Este encontro vai ser comandado pelo comandante das Forças Armadas e ministro interino da Defesa, general Freddy Padilla de León, que já partiu de Bogotá em direção à cidade de Garzón, localizada no departamento (estado) de Huila.

Guevara disse que o sequestro do vereador Armando Acuña mostra como é necessário que o Governo do presidente Álvaro Uribe ofereça medidas de proteção aos legisladores municipais.

Acuña foi sequestrado ontem por guerrilheiros das num ataque a prédios públicos locais.

Os rebeldes, disfarçados de militares, invadiram as sedes da Prefeitura e do Palácio de Justiça de Garzón, matando vigias e um policial.

Na perseguição aos guerrilheiros, um soldado morreu enquanto inspecionava as caminhonetes que os rebeldes abandonaram perto de uma região montanhosa, uma das quais estava carregada com explosivos. EFE jgh/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG