Miami, 23 jul (EFE).- Rajadas de vento do furacão Dolly, que deve atingir hoje a fronteira entre o México e os Estados Unidos, começaram a afetar a região, informou o Centro Nacional de Furacões americano (NHC, em inglês).

Em seu boletim das 8h (horário de Brasília), os meteorologistas do NHC, com sede em Miami, disseram que "Dolly" tem ventos máximos sustentados de 140 quilômetros por hora e espera-se que "toque a terra em algum lugar na fronteira entre o nordeste do México e o extremo sul do Texas".

"O olho de 'Dolly', que se move lentamente, poderia tocar a terra hoje ao meio-dia em algum lugar perto da fronteira entre México e Texas", disse à Agência Efe Denis Feltger, meteorologista do NHC.

Feltger advertiu que "Dolly" poderia ganhar mais força até chegar à categoria 2 na escala de intensidade Saffir-Simpson, que vai de 1 a 5, antes de tocar a terra.

"É uma tempestade muito grande, com uma área muito grande", declarou.

Permanece em vigor um alerta de furacão (passagem em 24 horas) para a costa do Texas, de Brownsville até Corpus Christi, e para o nordeste do litoral mexicano, do Río San Fernando até a fronteira norte entre México e EUA.

Um alerta de tempestade está em vigor do norte de Corpus Christi até San Luis e outro aviso de tempestade e um alerta de furacão (passagem em 36 horas) estão mantidos desde La Pesca até o sul de Río San Fernando.

O furacão se desloca em direção ao noroeste à velocidade de 13 quilômetros por hora e se prevê que "mantenha a trajetória noroeste ou oés-noroeste, com pequena diminuição de sua velocidade hoje", disseram especialistas.

Segundo este padrão de trajetória, o olho de "Dolly" atingirá "a costa ao meio-dia perto da fronteira" entre México e EUA.

Naquele momento, o olho do furacão estava localizado próximo da latitude 25,9 graus norte e da longitude 96,9 graus oeste, a 70 quilômetros a leste de Brownsville (Texas).

O NHC lembrou que as cidades que podem ser atingidas por "Dolly" devem terminar os preparativos para que não haja vítimas.

Enquanto isto, a tempestade tropical "Cristóbal" continua pelo Atlântico em direção a lés-nordeste e começou a perder suas características tropicais hoje.

"Cristobal", que se formou no sábado passado, apresenta ventos máximos sustentados de 75 quilômetros por hora e não são esperadas mudanças significativas em sua intensidade.

O olho de "Cristóbal" está próximo da latitude 44,7 graus norte e da longitude 55,9 graus oeste, a 610 quilômetros a leste de Halifax, na Nova Escócia.

Durante a temporada atlântica de 2008, que começou em primeiro de junho e que termina em 30 de novembro, já se formaram quatro tempestades tropicais, "Arthur", "Bertha" - que se tornou o primeiro ciclone da temporada -, "Cristóbal" e "Dolly".

Os meteorologistas prevêem que a temporada seja um "pouco mais ativa" do que o normal com a formação de seis a nove furacões e de 12 a 16 tempestades tropicais. EFE emi/wr/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.