Venezuela repudia relatório dos EUA sobre direitos humanos no mundo

Quito, 14 mar (EFE).- O Governo da Venezuela repudiou o relatório sobre os direitos humanos no mundo elaborado pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos, que criticou as supostas restrições às liberdades cidadãs no país sul-americano.

EFE |

O chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, em visita a Quito neste sábado, qualificou de "repudiável esse tipo de relatório" e lamentou que a política do presidente dos Estados Unidos, o democrata Barack Obama, segundo ele, mantenha as mesmas práticas do antecessor no cargo, o republicano George W. Bush.

"Em várias oportunidades, no decorrer desses anos, primeiro com o Governo Bush, rejeitamos e deploramos esses métodos", que subsistem com a administração de Obama, afirmou Maduro durante entrevista coletiva conjunta com seu colega equatoriano, Ricardo Patiño.

Maduro insistiu que as expectativas que a América Latina tinha sobre Obama "vieram abaixo com o golpe de Estado em Honduras, apoiado pelo Pentágono (Defesa), pela CIA (Inteligência) e pelo Departamento de Estado (Relações Exteriores) dos EUA", assim como com o anúncio de tropas americanas na Colômbia.

"Parece até que a política externa dos EUA continua sendo dirigida e governada pela mesma elite, que tem uma visão imperialista no mundo", sustentou o chanceler venezuelano.

Maduro se perguntou "por que todos os anos, no primeiro trimestre, se apresentam esses relatórios?".

Segundo Maduro, com esses estudos, os EUA pretendem obrigar muitos Governos "a vigiarem o mundo inteiro" e a aplicar sua visão autoritária. EFE fá/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG