Tamanho do texto

O governo da Venezuela propôs a manutenção dos postos de trabalho em três empresas de cimento que decidiu nacionalizar e que teriam, no conjunto, 4.600 funcionários, anunciou o ministro da Energia, Rafael Ramírez.

"O ministério do Trabalho divulgou uma instrução para evitar as demissões nas cimenteiras", disse Ramírez, que é responsável por negociar as indenizações para a nacionalização da mexicana Cemex, da francesa Lafarge e da suíça Holcim.

A Cemex, que controla quase 50% da produção de cimento na Venezuela, emprega 3.000 pessoas. Lafarge e Holcim têm quase 800 funcionários cada.

Além disso, o Estado venezuelano deve absorver 14.000 funcionários da siderúrgica Ternium-Sidor, de maioria acionária argentina e que a Venezuela decidiu nacionalizar esta semana.

nn/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.