Venezuela pede respeito à soberania de países do Conselho de Defesa da Unasul

SANTIAGO - O ministro de Defesa venezuelano, Ramón Carrizález, afirmou nesta terça-feira que o Conselho de Defesa Sul-americano, constituído em Santiago, deve funcionar com rígido respeito à integridade territorial e à soberania dos países.

EFE |

Ele lembrou que os princípios foram estabelecidos pelos presidentes da América Latina na cúpula do Grupo do Rio que foi realizada na República Dominicana. O encontro ocorreu pouco depois da incursão militar colombiana em território equatoriano para atacar um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), há um ano.

O ministro, que participa da reunião constitutiva do Conselho de Defesa Sul-americano, evitou abordar abertamente declarações polêmicas de seu colega colombiano, Juan Manuel Santos, também presente na reunião.

No início desta semana, Santos reivindicou o direito da Colômbia de perseguir membros das Farc onde quer que estejam, o que foi alvo de críticas dos governos de Equador e Venezuela.

Carrizález lembrou na reunião desta terça que "o princípio de integridade territorial está bem definido para todos os países".

Embora o governo colombiano inicialmente tenha se mostrado reticente em participar do Conselho, pois achava que a instância adequada era a Organização dos Estados Americanos (OEA), o ministro venezuelano negou que essa hesitação persiste.

Além disso, o ministro venezuelano negou a possibilidade de que o novo organismo de defesa, que depende da União de Nações Sul-americanas (Unasul), estabeleça um teto na proporção do gasto de cada país em armamento.


Leia mais sobre Unasul

    Leia tudo sobre: unasul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG