Venezuela pede à Interpol prisão de líder opositor exilado

CARACAS (Reuters) - Uma corte venezuelana ordenou a prisão do líder opositor exilado Manuel Rosales por acusações de corrupção e pediu à Interpol que o prenda depois que ele foi para o Peru, disse a TV estatal na quarta-feira. O anúncio ocorreu depois que Rosales falou à TV da oposição venezuelana, chamando o presidente Hugo Chávez de covarde e ditadorzinho em uma mensagem desde Lima, onde ele busca asilo político alegando sofrer perseguição na Venezuela.

Reuters |

O tribunal que julga as acusações de enriquecimento ilícito contra Rosales disse ter pedido sua prisão depois que ele não compareceu em uma audiência preliminar sobre o caso e voou para o Peru.

Promotores dizem que Rosales, um ex-candidato presidencial e a face mais visível da dividida oposição do país, não pode explicar a fonte de 60 mil dólares que juntou quando era governador do Estado petrolífero de Zulia.

Uma campanha publicitária da TV estatal o acusa de ser dono de mansões e de shopping centers em Miami.

Líderes oposicionistas afirmam que o caso mostra um uso seletivo da Justiça destinado a enfraquecer a oposição. Simpatizantes de Chávez classificam o processo como uma simples investigação de um caso de corrupção.

Rosales entrou com um pedido de asilo no Peru na terça-feira depois de chegar a Lima há alguns dias com 20 aliados opositores das políticas socialistas de Chávez, disse à Reuters uma fonte próxima à situação.

(Reportagem de Brian Ellsworth)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG