Venezuela nega morte em navio incendiado; 9 seguem desaparecidos

Caracas, 25 dez (EFE).- O Comandante da Armada venezuelana, Carlos Aniasi, negou hoje que um dos tripulantes da embarcação de bandeira grega Aegean Wind, que pegou fogo nesta madruga na costa da Venezuela, tenha morrido, mas confirmou que nove pessoas seguem desaparecidas.

EFE |

Em declarações ao canal estatal "Venezolana de Televisión", Aniasi explicou que o fogo foi contido pela tripulação, formada por 24 homens. Deles, nove seguem desaparecidos, cinco recebem assistência médica na Ilha Margarita e dez se encontram na embarcação.

O navio, que procedia do Brasil e se dirigia a Houston (EUA) com uma carga de ferro, levava 15 filipinos e nove gregos.

A informação de Aniasi negou assim a de que um dos marinheiros teria morrido, embora tenha dito que um deles vai ser levado a Caracas por via aérea devido às graves queimaduras.

O militar indicou que dois navios da Marinha da Venezuela se encontram próximos ao navio grego e que um helicóptero MIM-17 deixou na embarcação vários especialistas em desastres, que se encarregarão de completar o trabalho desenvolvido pela tripulação e tentarão localizar os nove desaparecidos, provavelmente ainda em algum dos compartimentos do "Aegean Wind".

O "Aegean Wind" sofreu esta madrugada um incêndio a 33 milhas da ilha venezuelana da Blanquilla. Rafael Lugo, chefe das equipes de salvamento, explicou que o fogo começou na sala de máquinas.

Segundo ele, como o fogo se propagou rapidamente, os marinheiros tomaram caminhos diferentes para se salvar, o que fez com que nove deles sigam desaparecidos. EFE rr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG