Venezuela nega acusação de presença do Hezbollah no país

CARACAS (Reuters) - A Venezuela rejeitou nesta terça-feira as acusações de uma autoridade israelense sobre a existência de células do grupo Hezbollah na fronteira com a Colômbia. A diretora para a América Latina e o Caribe da chancelaria israelense, Dorit Shavit, disse em uma entrevista para o jornal colombiano El Tiempo que nos últimos anos aumentou a presença da organização na zona limítrofe de Guajira, além da ilha turística de Margarida.

Reuters |

"A Venezuela rejeita de forma firme e contundente as absurdas declarações feitas por Dora Shavit (...), através das quais pretende vincular o governo bolivariano com atividades de organizações político-militares que nada tem a ver com a realidade política de nosso país", disse a chancelaria venezuelana em um comunicado.

Há alguns meses, Caracas rompeu relações com Tel Aviv em protesto a uma ofensiva militar do Estado judeu na Faixa de Gaza.

"Estas ridículas afirmações são parte de um plano feito pela ultradireita israelense, com o objetivo de encorajar e promover ações de diversas naturezas contra o governo e povo da Venezuela", acrescentou o comunicado.

Shavit também mostrou preocupação pelo que definiu como um aumento da presença do Irã na região e afirmou que esse país tem utilizado os múltiplos acordos firmados com a Venezuela para penetrar em mais países da região.

(Por Fabián Andrés Cambero)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG