Venezuela multará consumidor que gastar muita água

Por causa da seca que ameaça o abastecimento de água e energia em ano eleitoral, o governo da Venezuela determinou a cobrança de pesadas taxas a quem exceder os níveis normais de consumo de água.

Reuters |

Em entrevista publicada na quarta-feira pelo jornal local "Últimas Noticias", o ministro do Meio Ambiente Alejandro Hitcher disse que a punição valerá a partir de 1º de março e a multa será equivalente a várias vezes o custo básico da água.

O presidente do país, Hugo Chávez, declarou neste mês estado de emergência no setor elétrico por causa da seca que diminuiu drasticamente o nível do reservatório da importante usina hidrelétrica de Guri, que costuma ser responsável por mais de metade da energia usada no país.

Também por causa da seca, Caracas vive um racionamento de água, com cortes de dois dias a cada semana.

Hitcher disse que o consumidor que for multado e não pagar rapidamente o que deve pode ficar sem abastecimento de água. No ano passado, Chávez já havia conclamado a população a reduzir seus banhos a três minutos.

Uma recente pesquisa mostrou que muitos venezuelanos culpam o governo pelos problemas nos serviços públicos, o que pode se refletir no desempenho dos candidatos chavistas na eleição parlamentar de setembro.

Segundo decreto de 25 de janeiro publicado no Diário Oficial, as residências de Caracas pagarão uma taxa fixa de até 1 bolívar (0,38 dólar) por metro cúbico de água para os primeiros 40 metros cúbicos (40 mil litros).

Se o consumo for de 40 a 100 metros cúbicos, a taxa sobe a 3,5 bolívares (1,35 dólar) por metro cúbico. Passando de 100 metros cúbicos, o valor aumenta para 5 bolívares (1,92 dólar).

Para indústrias, a taxa pode chegar a 7 bolívares (2,69 dólares) para um consumo que supere 150 por cento do nível pré-estabelecido. O Diário Oficial disse que a cobrança será até quadruplicada para empresas que usarem de 100 a 150 por cento do volume habitual de água.

A reportagem do Últimas Notícias não deixava claro como serão estabelecidos os valores que servirão de base para o consumo. Funcionários da estatal Hidroven já haviam rejeitado pedidos da Reuters para uma entrevista.

O Diário Oficial disse que as taxas vão variar conforme a região e serão aplicadas por unidades locais da Hidroven.

Leia mais sobre Venezuela

    Leia tudo sobre: venezuela

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG