Venezuela expulsa embaixador de Israel por invasão de Gaza

CARACAS - O governo venezuelano anunciou nesta segunda-feira que decidiu expulsar o embaixador de Israel na Venezuela, Shlomo Cohen, e outros membros dessa legação diplomática como protesto pelas mortes causadas em Gaza pela invasão israelense.

Redação com agências internacionais |


"A Venezuela já decidiu expulsar o embaixador de Israel e o pessoal da Embaixada de Israel na Venezuela, reafirmando sua vocação de paz e sua exigência de respeito ao Direito Internacional", assinalou em comunicado o Ministério das Relações Exteriores.

Também nesta terça, o presidente venezuelano, Hugo Chávez, acusou o mundo de se calar covardemente diante do que classificou como "Holocausto" palestino, e pediu que os líderes de Israel e Estados Unidos sejam julgados em um tribunal internacional.

"Os judeus não repudiam o Holocausto? E o que é isso que estamos vendo em Gaza? Ponham a mão no coração e sejam justos", disse, depois de acusar o Exército israelense de ser "assassino" e "covarde".

O presidente venezuelano culpa Washington, seu principal inimigo político, de estar por trás dos ataques em Gaza, e criticou o "cinismo" da Casa Branca por acusar de pouco democráticos os governos de Irã e Cuba, apesar de justificar o ataque israelense.

"Os que acusam, não só a mim, mas esse governo, de ser um governo tirânico, assassino, se calam covardemente (diante da incursão israelense)", disse o presidente em um ato transmitido pela televisão estatal em um hospital infantil.

"O primeiro-ministro de Israel (Ehud Olmert) nesse momento deveria ser levado à Corte Penal Internacional junto com o presidente dos Estados Unidos (George W. Bush), se houver vergonha no mundo", acrescentou.

Chávez, que durante seus quase 10 anos de governo estreitou laços com países inimigos de Israel, como Síria e Líbano, visitará uma mesquita em Caracas para mostrar sua solidariedade com o povo palestino.

O líder sul-americano, que já atacou Tel Aviv no passado por suas ações militares na região, voltou a pedir ao mundo que detenha "essa loucura".

Em 2006, Chávez esteve a ponto de romper relações diplomáticas com Israel depois de acusar o governo do país de ser pior que o ditador alemão Adolf Hitler, o que provocou um conflito em que os dois países retiraram seus respectivos embaixadores.

Nahum Sirotsky, colunista do iG, comenta a situação em Gaza; veja o vídeo:


11º dia de bombardeios


Leia também

Opinião


Vídeos


Leia mais sobre: Faixa de Gaza

    Leia tudo sobre: faixa de gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG