O canal de televisão Globovisión, crítico ao governo do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, foi multado nesta sexta-feira em pelo menos 5,6 milhões de bolívares (3,1 milhões de dólares), um dia depois de o Ministério Público ter denunciado por usura seu presidente Guillermo Zuloaga.

A Globovisión foi notificada de duas multas pelo suposto uso não autorizado de antenas para transmissão ao vivo, em 2003, e uma presumível omissão na declaração de renda do recebimento de doações para a difusão do que o Ministério considera propaganda política, em 2002 e 2003.

Segundo o Serviço Nacional Tributário (Seniat), a empresa não declarou o recebido por mensagens transmitidas durante uma greve nacional entre dezembro de 2002 e fevereiro de 2003.

A Globovisión alega que essas mensagens faziam parte de uma promoção institucional.

O diretor da rede, Alberto Ravell considerou a medida "terrorismo judicial e fiscal contra" a empresa e uma forma de "asfixiá-la para que não possa mais funcionar".

Quinta-feira, o presidente da Globovisión foi indiciado pelo suposto armazenamento irregular de 24 veículos novos em uma de suas residências de Caracas, que procediam de duas concessionárias de sua propriedade.

Segundo o Ministério Público, isto poderia constituir crime de "usura genérica" se ficar provado que pretendia vender a mercadoria por um montante extraordinariamente superior ao do mercado.

Além disso, sua residência foi revistada à noite por fiscais ambientais que apreenderam troféus de caça.

rsr/nn/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.