Venezuela e África do Sul assinam acordo para petróleo e gás

Os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e da África do Sul, Thabo Mbeki, assinaram nesta terça-feira, em Pretória, um acordo para estreitar a cooperação entre as indústrias de petróleo dos dois países. Segundo fontes, o documento prevê o fornecimento de petróleo venezuelano ao país a preços preferenciais e o acesso da empresa petrolífera sul-africana, a Petro SA, a campos de produção venezuelanos.

BBC Brasil |

Esta foi a primeira visita de um presidente venezuelano à África do Sul e faz parte de mais um capítulo da investida do presidente Hugo Chávez sobre o continente africano.

Em seus quase dez anos de mandato como presidente, Chávez já esteve na Argélia, Moçambique, Mali, Gâmbia, Benin e Angola, países que também nunca haviam sido visitados por um líder venezuelano. Além disso, nos últimos três anos, o número de embaixadas venezuelanas no continente saltou de 10 para 18.

Estratégia bolivariana
O interesse venezuelano na África não é novo, mas a estratégia de Chávez de estreitar os vínculos com a região coincide com o que muitos analistas chamam de "renascimento africano", ocorrido na última década.

O relativo aumento da estabilidade política no continente e o crescimento econômico mundial tornaram os países africanos mais atrativos como produtores de matérias-primas e receptores de exportações.

Neste contexto, a visita de Chávez à África do Sul é de fundamental importância, na medida em que o país tem uma clara ascendência política sobre a região. Como afirmaram fontes diplomáticas à BBC, "a melhor entrada para as potencialidades da África está no sul".

Além dos atrativos econômicos, o aumento da atenção da Venezuela sobre o continente também pode estar relacionado com o projeto bolivariano perpetrado por Hugo Chávez.

"Toda a política exterior da Venezuela está inserida na concepção multipolar do projeto bolivariano", explicou à BBC a analista internacional Maria Teresa Romero.

O apoio destes países em foros internacionais se torna ainda mais interessante em um momento em que a Venezuela denuncia supostos planos americanos para isolá-la diplomaticamente.

Alvo latino-americano
Mas a Venezuela não é o único país do bloco latino-americano com os olhos voltados para a África.

Na verdade, o país de Chávez está na terceira colocação entre os latinos que mais investem nos países africanos, depois do Brasil e de Cuba.

Mas, enquanto o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva sempre está acompanhado por empresários em suas viagens à África, Chávez parece ter outras prioridades para o continente.

No caso venezuelano, mais do que os bons negócios na região, os convênios políticos parecem ter mais apelo.

Nos últimos anos, a Venezuela firmou cerca de 150 convênios com países africanos em áreas como saúde, educação e energia.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG