Venezuela diz que não se intromete na Bolívia, quer apenas defendê-la

A Venezuela não se intromete em assuntos internos de outro país, mas defende a soberania e a independência dos povos, afirmou Caracas nesta sexta-feira em um comunicado do ministério das Relações Exteriores, em resposta a declarações das Forças Armadas bolivianas.

AFP |

O governo venezuelano "faz um apelo à reflexão ao general Trigo, que ao invés de questionar a solidariedade manifestada pela Venezuela à república irmã da Bolívia, tem o dever de cumprir com firmeza seu juramento de lealdade ao governo legitimamente eleito".

O general Luis Trigo, comandante das Forças Armadas da Bolívia, leu um texto nesta sexta-feira rejeitando eventuais "intromissões externas de qualquer índole" em assuntos internos do país.

Ele se referia ao anúncio feito por Hugo Chávez, presidente da Venezuela, afirmando que apoiaria "qualquer movimento armado" caso seu colega Evo Morales fosse alvo de um golpe de Estado.

O governo venezuelano "jamais cometeu atos de intromissão em assuntos internos de outros países. Ao contrário, defende e defenderá sempre a soberania e a independência dos povos", afirma o comunicado emitido por Caracas.

O texto pede ainda que o general Trigo se pronuncie "contra a verdadeira intromissão, atual e histórica, do governo dos Estados Unidos na Bolívia".

"Que bom seria se este general acompanhasse com lealdade o presidente Evo Morales (...) nos esforços para neutralizar e vencer os grupos violentos que, agredindo fisicamente indígenas, camponeses e soldados, pretendem seqüestrar e destruir a democracia boliviana".

Por último, o ministério venezuelano faz um apelo para que o general Trigo rechace "energicamente as tentativas de grupos minoritários, fascistas e terroristas que querem dividir a filha predileta do Libertador Simón Bolívar".

bl/ap/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG