Venezuela determinará posição de helicóptero na fronteira da Colômbia

Quito, 29 jan (EFE).- As Forças Armadas da Venezuela querem descobrir com exatidão, utilizando mapas e registros de seus radares, a posição de um helicóptero militar que, segundo a Colômbia, sobrevoou seu território na quarta-feira em uma região de fronteira.

EFE |

A afirmação foi de Daniel Machado, vice-ministro da Defesa da Venezuela, que participa da 2ª Reunião da Instância Executiva do Conselho de Defesa Sul-americano (CDS), realizada na cidade equatoriana de Manta.

"Determinaremos as medidas com as equipes técnicas que temos e os recursos dos sistemas de radar; com os mapas de radar será possível determinar perfeitamente a localização da aeronave", sustentou Machado em declarações ao canal equatoriano "Ecuavisa".

O chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, negou "categoricamente" ontem que a aeronave tenha sobrevoado o território colombiano e alertou que essa informação pudesse estar emoldurada nos supostos planos dos EUA e Colômbia de "construir" incidentes na fronteira.

Machado, por sua vez, ao ser perguntado sobre a possibilidade que possam ter eventuais abates de aeronaves em regiões de fronteira, assinalou que, em geral, incidentes podem ocorrer, mas os consideram episódios menores.

São "pequenos acidentes ou incidentes que ocorrem nas regiões de fronteiras que são abertas e que compartilhamos mutuamente; às vezes passa alguma unidade nossa às vezes deles e não há nenhum inconveniente com relação a isso", acrescentou.

Por sua vez, no marco das discussões em Manta, os vice-ministros de Defesa da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) analisaram hoje, entre outros assuntos, o Livro Branco do Comando de Mobilidade Aérea dos Estados Unidos.

Segundo Machado, o programa militar refletido no livro "representa a capacidade e a mobilidade das Forças Armadas dos Estados Unidos a partir de suas sedes até as instalações na América do Sul".

Com relação a esse debate, o vice-ministro da Defesa da Colômbia, Jorge Eastman, afirmou aos jornalistas que "Colômbia não tem nenhuma posição frente a um documento público de outro Governo que não provém do Governo colombiano".

Os vice-ministros concluirão nesta tarde uma reunião na qual analisaram como estabelecer na região medidas de fomento de confiança e de segurança em matéria de Defesa, a troca de informação e a transparência e a elaboração de um Protocolo de Paz, Segurança e Cooperação na Unasul.

A Unasul está formada pela Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela. EFE fa/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG