czar antidrogas dos EUA - Mundo - iG" /

Venezuela desmente boicote à visita de czar antidrogas dos EUA

Caracas, 26 ago (EFE).- A Chancelaria da Venezuela desmentiu hoje que tenha negado um visto ao secretário Antidrogas dos Estados Unidos, John Walters, que pediu uma reunião em Caracas com o presidente do país, Hugo Chávez.

EFE |

A estatal "Agência Bolivariana de Notícias" ("ABN") informou que "um porta-voz da Chancelaria venezuelana disse à 'Prensa Latina' ('Agência Informativa Latinoamericana') que Walters pediu" para se reunir com Chávez em "27 ou 28 de agosto", mas que o americano foi "comunicado da impossibilidade de ser recebido nessa data devido à intensa agenda nacional e internacional" de Chávez.

"A suposta recusa à concessão de um visto, reportada pelo correspondente em Washington do jornal colombiano 'El Tiempo', é absolutamente mentirosa", disse o porta-voz da Chancelaria venezuelana à agência oficial cubana, que não identificou o funcionário, como também não o fez a "ABN".

A embaixada da Venezuela em Washington "comunicou ao funcionário americano que outras datas para o encontro estão sendo avaliadas" e que "os vistos correspondentes serão tramitados assim que essa possibilidade tiver se confirmado", acrescenta o desmentido.

O Governo venezuelano anulou faz / há três anos o acordo de cooperação que mantinha com a DEA, o escritório antidrogas do Governo de Washington.

Isso após denunciar que seus agentes atuavam como qualquer outro cartaz do narcotráfico e que, além de não coordenar operacionais / operativos, proibir o ingresso / renda / receita / entrada de venezuelanos a suas instalações e dispor a seu desejo de drogas como chamarizes, seus agentes efetuavam ações de espionagem político, "incluindo gravações telefônicas ilegais".

Chávez advogou recentemente por melhorar as relações com os Estados Unidos, salpicadas ++intermitentemente++ por uma retórica de mútuas acusações de diverso tipo, e expressamente nomeou a luta contra o narcotráfico e a delinqüência internacional.

As autoridades venezuelanas destacam que desde a ruptura com a DEA aumentaram os confiscos de drogas que passam por seu território e que provêm principalmente desde Colômbia, o que atribuem, entre outras coisas, à coordenação e eficácia do trabalho de seus agentes e os de outros países, majoritariamente europeus.

O Escritório Nacional Antidrogas da Venezuela informou recentemente que no primeiro semestre confiscou mais de 34 toneladas de diversos entorpecentes, entre eles 20,44 toneladas de cocaína.

EFE ++ar++/++lb++ ++TRI++:JUSTIÇA-INTERIOR-FATOS,FATOS ++JEI++:é:02010000:Justiça e interior:Crime organizado

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG