O governo do presidente venezuelano, Hugo Chávez, suspenderá a partir da próxima segunda-feira, por 24 horas, o fornecimento de energia para 96 empresas e lojas que não reduziram seu consumo elétrico em 20%, como estabelecia um decreto firmado em fevereiro passado.

Segundo o vice-presidente venezuelano, Elías Jaua, "96 altos consumidores" sofrerão a medida, por "não responderem favoravelmente à consulta" sobre os motivos da manutenção de seu nível de consumo.

"Se mantiverem o consumo elevado, sofrerão um corte maior", de 48 horas, no próximo mês, e quem persistir terá o fornecimento elétrico suspenso por tempo indefinido, até que "termine a emergência elétrica", possivelmente em maio.

Além das medidas de redução impostas aos "altos consumidores" industriais, o governo determinou uma queda de 10% no consumo doméstico de eletricidade, prevendo multas para os pequenos usuários que não cumprirem com a meta.

A Venezuela, um dos grandes produtores de petróleo do planeta, enfrenta uma severa crise elétrica, atribuída pelo governo à falta de chuvas e ao elevado consumo elétrico, mas segundo vários especialistas, o problema é resultado da falta de investimentos e da incompetência das autoridades.

jt/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.