Caracas, 17 set (EFE).- Dois altos comandantes militares venezuelanos confirmaram hoje que administram a realização de exercícios navais conjuntos com a Marinha da Rússia no mar do Caribe, uma vez cumpridas práticas na zona por duas aeronaves da aviação russa.

"Dentro da programação de treinamento da Marinha russa está uma passagem pelo Atlântico e achamos muito conveniente que se aproxime de nossas costas para interagir com nossa Armada", disse o ministro da Defesa venezualana, o general do Exército Gustavo Rangel.

"Estamos antecipando conversas para materializar" o assunto, ressaltou o ministro.

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, anunciou essa ligação em 11 de setembro, quando informou que um dia antes tinham chegado a seu país dois bombardeiros supersônicos russos.

Rangel afirmou hoje em declarações à emissora estatal de televisão "VTV" que se trata de "uma visita da aviação estratégica (...) instrutiva" e que tanto os pilotos russos como os venezuelanos aprenderam "uma grande quantidade de coisas".

O comandante da Força Aérea venezuelana, o major Pedro Terán, disse também à "VTV" que os bombardeiros "estavam se familiarizando com a geografia e a meteorologia (...)".

"Para nós é sumamente satisfatório poder contar com um aliado desta magnitude", acrescentou Terán.

O vice-primeiro-ministro russo, Ígor Sechin, que visita Caracas, afirmou ontem à noite na saída de uma reunião com Chávez que a Venezuela "é um dos parceiros da Rússia de maior confiança" e que ambos os países seguem "desenvolvendo a cooperação técnico-militar".

Chávez visitará Moscou nos próximos dias 26 e 27 deste mês, depois de ir à China, em uma viagem que terminará em Portugal no dia 28. EFE ar/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.