A Venezuela vai pagar nesta sexta-feira ao grupo espanhol Santander os primeiros 630 milhões de dólares, dos 1,05 bilhão acertados em maio pela compra do Banco da Venezuela, no primeiro pagamento realizado pelo governo em função das nacionalizações em 2009.

Segundo o cronograma divulgado pelo governo, além da transferência de fundos, correspondentes a 60% do total, nesta sexta também será assinado o documento de compra e venda.

O pagamento dos 420 milhões de dólares restantes será feito em duas parcelas, em outubro e dezembro.

Desta maneira, o governo de Hugo Chávez, que anunciou a nacionalização desta instituição financeira há 11 meses, passa a controlar 96% das ações do banco, que desde 1996 estavam em mãos do grupo espanhol.

Também se converte assim no ator mais poderoso do sistema financeiro venezuelano, controlando 25% do setor bancário nacional.

Segundo o economista Asdrúbal Oliveros, diretor da empresa Ecoanalítica, a Venezuela destinará recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento (Fonden) ao pagamento dos compromissos gerados pelas estatizações. Para isso, o Estado dispõe de até 8 bilhões de dólares.

O governo venezuelano iniciou em 2007 uma política de nacionalizações que abrangeu, à princípio, indústrias estratégicas como a petroleira, elétrica e de telecomunicações, e que se estendeu, posteriormente, aos setores siderúrgicos, de cimento e bancário.

jt/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.