Caracas, 23 set (EFE).- Ativistas que se identificaram como afins ao Governo do presidente venezuelano, Hugo Chávez, lançaram hoje gás lacrimogêneo contra o canal de televisão Globovisión, apontado como alvo militar em panfletos.

"A bordo de dois veículos, os atacantes passaram pela frente da televisão, onde, além disso, deixaram panfletos que declaram guerra contra a 'Globovisión' e a apontam como alvo militar caso se concretize um assassinato ou golpe de Estado" contra Chávez, disse a emissora em seu site.

O diretor-geral da "Globovisión", Alberto Federico Ravell, disse na segunda-feira que os funcionários e diretores da emissora rejeitam "os golpes de Estado, os assassinatos (...), venham da oposição ou do Governo".

Diretores do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), liderado por Chávez, apresentaram na terça-feira uma solicitação formal na Procuradoria para a investigação "exaustiva" de um complô denunciado contra o governante, dissera o dirigente governista Diosdado Cabello.

Foram divulgados vídeos nos quais três altos comandantes militares reformados colocam como objetivo assassinar Chávez ou derrubá-lo, e afirmam ter o apoio de militares em serviço ativo e dos meios de comunicação aos quais chamam de "amigos". EFE ar/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.