Venezuela amplia operações de sua estatal petroleira em Cuba

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e o presidente de Cuba, Raúl Castro, firmaram neste sábado, em Havana, uma série de novos acordos econômicos que ampliam as operações da petroleira estatal venezuelana na ilha. Entre estes acordos, em um total de US$ 3 bilhões, estão a abertura de escritórios da Petróleos de Venezuela (PDVSA) na capital cubana, que, segundo o governo venezuelano, será seu centro de operações no Caribe.

BBC Brasil |

Também está prevista a participação da PDVSA na prospecção de petróleos nas águas profundas do Golfo do México, além da conclusão de uma refinaria e de um conglomerado petroquímico na cidade cubana de Cienfuegos.

Os acordos também contemplam a compra por Cuba de alimentos, sapatos, roupas, pneus, brinquedos, matérias-primas e material de construção da Venezuela.

Crise
O presidente cubano, Raúl Castro, rompeu seu habitual silêncio para declarar à imprensa que este "é um dia histórico".

"Estamos muito contentes", afirmou.

Castro disse ainda que Cuba está saindo da crise graças à ajuda da Venezuela e da China.

Até hoje, os acordos entre Cuba e Venezuela já somam quase US$ 9 bilhões, e o comércio bilateral entre os dois países passa dos US$ 5 bilhões anuais.

Alba
Chávez chegou a Havana neste sábado para participar da Cúpula da Aliança Bolivariana para as Américas (Alba), organização econômica que inclui ainda Bolívia, Equador, Nicarágua, Dominica, São Vicente e Granadinas, e Antígua e Barbuda.

A reunião ocorre nesta segunda e terça-feiras, e deve se concentrar em temas como as mudanças climáticas e a segurança alimentar.

A Alba foi idealizada e fundada por Chávez e Fidel Castro há cinco anos.

Há especulações de que o ex-líder cubano, que está convalescente desde meados de 2006, possa aparecer em público para a reunião.

O próprio Chávez alimentou a especulação ao declarar que Fidel "está melhor do que nunca".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG