Venezuela acusa os EUA de provocarem crise na Geórgia

Caracas, 14 ago (EFE) - O Governo da Venezuela comemorou hoje os passos dados em favor do restabelecimento da paz na Ossétia do Sul, e acusou os Estados Unidos de terem planejado, preparado e ordenado o conflito na região. Em comunicado, a Chancelaria venezuelana expressou que o Governo do presidente do país, Hugo Chávez, acompanhou com preocupação o conflito, em particular o aumento de atos inaceitáveis de violência cometidos pelas tropas georgianas contra a população da Ossétia do Sul. De acordo com Caracas, a ofensiva militar desdobrada pela Geórgia na Ossétia do Sul, sem razão alguma (...

EFE |

) foi planejada, preparada e ordenada pelo Governo dos Estados Unidos".

Washington, "longe de promover o restabelecimento da paz na zona, deu-se à tarefa de estimular as agressões do Governo georgiano", indicou o comunicado oficial.

Segundo o Governo da Venezuela, "a comunidade internacional foi, uma vez mais, testemunha da recorrente política de desestabilização e incitação à violência que o império americano costuma pôr em prática em distintas regiões do planeta".

A Venezuela "observou que a Federação da Rússia, amparada nos acordos internacionais que legitimam a presença de suas forças de paz na Ossétia do Sul, atuou para preservar a vida da população local, assim como a de seus cidadãos", assinalou o comunicado de Chancelaria.

O Governo da Venezuela, "amante da paz e fervente defensor dos direitos humanos, defende que os passos dados conduzam a uma paz duradoura na Ossétia do Sul e em toda a região do cáucaso", acrescentou a nota oficial.

Além disso, o Executivo convidou "os países da Europa a não permitir que atores externos ponham em risco a estabilidade do continente europeu e a paz do mundo". EFE gf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG