Washington, 20 jan (EFE).- Milhares de vendedores vendem bandeirolas, camisetas, broches, fotos, calendários e outras recordações da posse presidencial de Barack Obama, pedacinhos da história, como define uma deles.

As ruas do centro da capital dos Estados Unidos se transformaram hoje em mercados com barracas de comércio na rua onde acontece o que Sheila Curry Bryan, uma pediatra de Nova Jersey, descreveu como "o dia de redenção que nossos netos verão nos livros".

"Hoje é um grande dia em que este país volta a se unir e, como nunca antes, pode olhar para o futuro", acrescentou Curry, que junto com sua filha, Sheryl Smith, moradora de Maryland, se dirigia, na manhã fria e ensolarada, ao Mall, parque em frente ao Capitólio onde Obama faria seu juramento à Constituição.

Genese Miller, uma jovem de Chicago, saíra há uma semana ao Distrito de Columbia com os calendários produzidos por sua firma, que incluíam imagens e textos uma apuração detalhada, dia-a-dia, do ano que conduziu Obama das eleições primárias à Casa Branca.

"As vendas foram bem e seguramente melhorarão assim que terminarem as cerimônias e o desfile, e as pessoas queiram levar pedacinhos desta história que todos fizemos", acrescentou.

As barracas de comércio na rua oferecem camisetas, suéteres, imãs de geladeira, chapéus de aba e bonés, bandeirolas, cachecóis, adesivos, cinzeiros, isqueiros, lápis, luvas e toda espécie de lembranças.

Também fazem muito bom negócio os quiosques que vendem comidas, refrigerantes e as imprescindíveis bebidas quentes -café, chá, chocolate- para alívio das multidões, que as autoridades não permitem que levem garrafas térmicas nos locais de concentração.

Michael Nolan, da Virgínia, instalou na esquina das ruas G e 11 sua barraca, onde oferece camisetas diferentes da maioria que se vendem na cidade: elas não mostram a imagem de Obama, somente entrevistas de seus discursos.

"Minha intenção é estimular o diálogo, a conversa", disse Nolan à Agência Efe. "Por isso, além da citação, está esta pergunta 'quem disse?'. O que procuro é que as pessoas reflitam sobre o que Obama propõe".

Também têm sucessos de venda os adesivos e roupas que mostram Obama com sua mulher Michelle e suas filhas Sasha e Malia.

Curry Bryan disse à agência Efe que a família de Obama é outro dos tantos fatores que contribuem pra o afeto da nação por seu 44º presidente.

"É um modelo para todas as famílias", afirmou. EFE jab/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.