pedacinhos da história - Mundo - iG" /

Vendedores fazem negócio com pedacinhos da história

Washington, 20 jan (EFE).- Milhares de vendedores vendem bandeirolas, camisetas, broches, fotos, calendários e outras recordações da posse presidencial de Barack Obama, pedacinhos da história, como define uma deles.

EFE |

As ruas do centro da capital dos Estados Unidos se transformaram hoje em mercados com barracas de comércio na rua onde acontece o que Sheila Curry Bryan, uma pediatra de Nova Jersey, descreveu como "o dia de redenção que nossos netos verão nos livros".

"Hoje é um grande dia em que este país volta a se unir e, como nunca antes, pode olhar para o futuro", acrescentou Curry, que junto com sua filha, Sheryl Smith, moradora de Maryland, se dirigia, na manhã fria e ensolarada, ao Mall, parque em frente ao Capitólio onde Obama faria seu juramento à Constituição.

Genese Miller, uma jovem de Chicago, saíra há uma semana ao Distrito de Columbia com os calendários produzidos por sua firma, que incluíam imagens e textos uma apuração detalhada, dia-a-dia, do ano que conduziu Obama das eleições primárias à Casa Branca.

"As vendas foram bem e seguramente melhorarão assim que terminarem as cerimônias e o desfile, e as pessoas queiram levar pedacinhos desta história que todos fizemos", acrescentou.

As barracas de comércio na rua oferecem camisetas, suéteres, imãs de geladeira, chapéus de aba e bonés, bandeirolas, cachecóis, adesivos, cinzeiros, isqueiros, lápis, luvas e toda espécie de lembranças.

Também fazem muito bom negócio os quiosques que vendem comidas, refrigerantes e as imprescindíveis bebidas quentes -café, chá, chocolate- para alívio das multidões, que as autoridades não permitem que levem garrafas térmicas nos locais de concentração.

Michael Nolan, da Virgínia, instalou na esquina das ruas G e 11 sua barraca, onde oferece camisetas diferentes da maioria que se vendem na cidade: elas não mostram a imagem de Obama, somente entrevistas de seus discursos.

"Minha intenção é estimular o diálogo, a conversa", disse Nolan à Agência Efe. "Por isso, além da citação, está esta pergunta 'quem disse?'. O que procuro é que as pessoas reflitam sobre o que Obama propõe".

Também têm sucessos de venda os adesivos e roupas que mostram Obama com sua mulher Michelle e suas filhas Sasha e Malia.

Curry Bryan disse à agência Efe que a família de Obama é outro dos tantos fatores que contribuem pra o afeto da nação por seu 44º presidente.

"É um modelo para todas as famílias", afirmou. EFE jab/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG