Vencedora de eleição em Bangladesh diz querer cooperar com oposição

Daca, 30 dez (EFE).- A grande vencedora das eleições de ontem em Bangladesh, Sheikh Hasina, transmitiu hoje à ONU e a outras missões de observadores sua intenção de cooperar com a opositora Khaleda Zia pelo fortalecimento da democracia no país, informou um porta-voz.

EFE |

Hasina, cujo partido obteve ontem uma vitória histórica que lhe dará mais de dois terços de cadeiras no Parlamento, recebeu hoje em sua residência o painel da ONU liderado por Francesc Vendrell e observadores de outras missões como a da Commonwealth.

Segundo H.T. Imame, co-presidente do comitê eleitoral da Liga Awami de Hasina, os chefes das missões ficaram em comunicar as "boas intenções" da vencedora à oposição, informou a agência "UNB".

Hasina não compareceu hoje em público após a vitória eleitoral, como também não fez a derrotada Khaleda Zia, líder do Partido Nacionalista de Bangladesh (BNP).

A vencedora tinha previsto falar com a imprensa às 13h locais (5h de Brasília), mas a reunião foi cancelada por motivos de segurança devido à enorme afluência de repórteres e militantes ao local da entrevista, o Clube de Imprensa de Daca.

O partido anunciou hoje que a primeira aparição pública de Hasina será amanhã.

Zia também não apareceu em público, após uma derrota que deixa a seu bloco praticamente encurralado no Parlamento, onde obteve somente 30 cadeiras contra 261 da aliança liderada por Hasina.

As missões diplomáticas e de observação do pleito anunciaram sua inquietação de que a perdedora não aceite os resultados ou a vencedora os tome como a revanche, suscitando novos surtos de violência nas ruas, como já aconteceu no passado entre seguidores da Awami e o BNP.

Segundo a "UNB", três pessoas -dois seguidores do BNP e um da Awami- morreram hoje e 34 ficaram feridas em episódios de violência pós-eleitoral em diferentes partes do país. EFE ja/chs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG