Veltroni admite derrota para Berlusconi em eleição italiana

Por Silvia Aloisi ROMA (Reuters) - O líder italiano de centro-esquerda Walter Veltroni admitiu, nesta segunda-feira, a derrota nas eleições parlamentares italianas para o conservador Silvio Berlusconi.

Reuters |

'Como é de costume na democracia ocidental, e como eu sinto que é certo fazer, liguei para o líder do (partido) Povo da Liberdade, Silvio Berlusconi, para reconhecer sua vitória e lhe desejar boa sorte em sua empreitada', disse Veltroni a jornalistas.

Berlusconi liderava, segundo projeções de resultado após dois dias de votação, a corrida pelo controle do governo italiano por cerca de 9 pontos de vantagem para Veltroni e com ampla maioria nas duas casas do Parlamento.

Magnata dos meios de comunicação, Berlusconi, de 71 anos, tenta conquistar um terceiro mandato de primeiro-ministro. Para isso, prometeu cortar o déficit público do país, reduzir os impostos e diminuir o controle sobre o altamente regulamentado setor de serviços.

A eleição atual foi convocada porque Romano Prodi, que venceu Berlusconi nas urnas em 2006, anunciou sua renúncia em janeiro, 20 meses depois de iniciado seu mandato de cinco anos, após sua frágil maioria ter virado pó e sua coalizão de governo ter entrado em colapso.

Berlusconi, que foi premiê durante sete meses a partir de abril de 1994 e entre 2001 e 2006, vinha sendo apontado como favorito para eleger uma bancada majoritária na câmara baixa do Parlamento.

A corrida pelo Senado sempre se mostrou mais disputada devido ao complexo sistema de votação verificado no país.

Veltroni, sucessor de Prodi na liderança do Partido Democrático (PD), representou um osso duro de roer para Berlusconi, que domina os meios de comunicação italianos por meio de sua empresa, a Mediaset -- a maior rede de telecomunicações privada da Itália.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG