Velório de presidente e primeira-dama da Polônia é aberto ao público

O velório do presidente da Polônia, Lech Kaczynski, e de sua esposa Maria foi aberto ao meio-dia ao público no Palácio Presidencial de Varsóvia, onde milhares de pessoas aguardavam para prestar a última homenagem ao líder morto em um acidente de avião no último sábado.

EFE |

Os caixões fechados de Kaczynski e de sua mulher estão colocados sobre suportes pretos, cobertos com a bandeira da Polônia e com coroas de flores brancas, em frente a um corredor com tapete vermelho pelo qual os cidadãos podem circular para render honras ao casal presidencial.

Os primeiros a se despedir do casal foram a filha deles, Marta, e o irmão gêmeo do presidente, Jaroslaw Kaczynski. O bispo de Varsóvia Kazimierz Nycz comandou uma breve cerimônia religiosa para os familiares e as pessoas mais próximas ao casal.

Pouco depois prestou homenagem aos mortos o primeiro-ministro Donald Tusk, acompanhado pelos membros de seu gabinete ministerial.


Poloneses se emocionam em velório do presidente e da primeira-dama / Reuters

Cortejo

O velório foi aberto poucas horas depois da chegada a Varsóvia, em um avião militar, dos restos mortais de Maria Kaczynski que, após uma breve cerimônia militar e religiosa, foram transferidos em uma caravana até o Palácio Presidencial.

O carro fúnebre de Maria Kaczynski, cujo corpo só foi identificado pela aliança matrimonial, realizou o mesmo percurso que o de seu marido.

Milhares de poloneses foram às ruas para homenagear a primeira-dama, que era bastante estimada pela população por sua defesa aos direitos da mulher.

"Queremos que todo polonês que deseje apresentar seus cumprimentos possa fazê-lo", disse Jacek Sasin, porta-voz da presidência.


População foi às ruas para homenagear a primeira-dama em cortejo fúnebre / Reuters

Segundo o porta-voz presidencial, o sepultamento de Lech Kaczynski e de sua mulher ocorrerá no domingo, um dia depois da realização da homenagem oficial a todas as vítimas do acidente aéreo de Smolensk, na Rússia.

Sasin especificou que, embora o funeral coletivo esteja previsto para o sábado, "a data definitiva dependerá de quando sejam repatriados todos os corpos".

Queda na Rússia

O acidente ocorreu no último sábado, quando o avião presidencial caiu na manobra de aterrissagem no aeroporto russo de Smolensk.

Na aeronave, estava a comitiva presidencial que participaria da cerimônia em lembrança dos 20 mil oficiais e soldados poloneses assassinados pelos serviços secretos de Stalin, em Katyn (Polônia), há 70 anos.

Após a tragédia, a Polônia decretou uma semana de luto oficial, que suspendeu as atividades culturais e esportivas no país, assim como fechou cinemas e discotecas.

Leia mais sobre Polônia

    Leia tudo sobre: polônia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG