Veja vídeos do Exército brasileiro do momento do tremor no Haiti

Vídeos obtidos pelo iG mostram momento do tremor que devastou a região da capital Porto Príncipe há um ano, matando milhares

iG São Paulo |

Vídeos obtidos pelo iG com o Exército do Brasil, que lidera a Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah, na sigla em francês), mostram o momento do terremoto de 7 graus na escala Richter que devastou a região da capital Porto Príncipe há um ano, em 12 de janeiro de 2010.

nullOs vídeos, gravados com a câmera de segurança da base brasileira, mostram os momentos do tremor dentro e fora do local.

O tremor de profundidade de 12 km atingiu o país às 16h53 locais (19h53 horário de Brasília), deixando estimados 250 mil a 300 mil mortos e 1,5 milhão de desabrigados.

Entre os mortos estão 22 brasileiros , incluindo a médica sanitarista Zilda Arns, o diplomata Luiz Carlos da Costa, um policial militar, uma menina não identificada e 18 militares que participavam da Missão de Paz da ONU no país.

O Haiti sofreu perda de 60% de suas infraestruturas de governo, danos em cerca de 200 mil residências e perda financeira de US$ 7,8 bilhões - equivalente a 120% de seu PIB em 2009.

Desde a tragédia, a ONU liderou os esforços para reconstruir o Haiti e, por meio do Programa Mundial de Alimentos (PMA), chegou a auxiliar 4 milhões nas semanas posteriores ao desastre. Um ano depois, ainda alimenta 2 milhões e proporciona 80 mil postos de trabalho.

Também impulsionou em Nova York uma conferência de doadores na qual foram prometidos US$ 10 bilhões para a reconstrução e nomeou como enviado especial para o país o ex-presidente americano Bill Clinton, que copreside a comissão encarregada de administrar as doações.

nullNo entanto, 12 meses depois, mais de 1 milhão ainda vive em condições precárias em acampamentos improvisados em uma Porto Príncipe em ruínas, enquanto até novembro só haviam sido desembolsados dois terços dos US$ 2,1 bilhões prometidos para 2010.

Além das consequências do terremoto, uma epidemia de cólera que atinge o Haiti desde outubro deixou mais de 3,5 mil mortos, impondo novas necessidades.

A ONU tenta arrecadar US$ 164 milhões para fazer frente à epidemia, embora só tenha recebido um quinto dessa quantia, segundo disse em 17 de dezembro o diretor-geral do Unicef, Anthony Lake.

Esse panorama faz com que se calcule que a "refundação" do Haiti levará cerca de 20 anos, de acordo com o ministro de Turismo haitiano, Patrick Delatour.

*Com EFE e colaboração de Vicente Seda, iG Rio de Janeiro

    Leia tudo sobre: haiticóleranepalmissão de paz da ONUterremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG