Veja os principais fatos do escândalo de escutas ilegais no Reino Unido

Grampos telefônicos ilegais levaram ao fechamento do tabloide News of the World depois de 168 anos e abalaram ações do império do magnata Rupert Murdoch

iG São Paulo |

O escândalo de escutas telefônicas ilegais envolvendo jornalistas do tabloide britânico News of the World , do conglomerado News Corp. , de Rupert Murdoch, levou o magnata australiano, seu filho James e a executiva Rebekah Brooks a prestar depoimento nesta terça-feira ao Comitê de Mídia do Parlamento britânico .

Veja quais foram os fatos mais marcantes do escândalo envolvendo executivos, jornalistas e até mesmo policiais da Scotland Yard no Reino Unido.

Novembro de 2005 - O repórter do tabloide News of the World Clive Goodman publica matéria, segundo a qual o príncipe William teria um problema no joelho. O Palácio de Buckingham se enfurece e pede abertura de inquérito policial

Augusto de 2006 - Goodman é detido juntamente com o investigador Glenn Mulcaire por suspeita de escutas telefônicas ilegais de membros da Família Real britânica

AFP
Magnata australiano se desculpou pela polêmica das escutas ilegais em seus veículos (16/7)
Janeiro de 2007 - Goodman é condenado a quatro meses, enquanto Mulcaire recebe sentença de seis meses. O então editor do News of the World, Andy Coulson , renuncia ao cargo

Maio de 2007 - Líder do Partido Conservador David Cameron cogita Coulson para ser seu conselheiro de mídia e porta-voz

Julho de 2009 - Diante da uma comissão parlamentar, Coulson diz que nunca “condenou o uso de grampos telelefônicos”.

Setembro de 2009 - Rebekah Brooks , ex-editora do News of the World e o jornal da mesma empresa The Sun, é nomeada chefe-executiva da News International, subsidiária britânica da News Corp. de Rupert Murdoch

Fevereiro de 2010 - Comitê parlamentar não encontra evidências de que Coulson sabia sobre de grampos ilegais no tabloide, mas declara ser “inconcebíbel” que apenas Goodman tivesse ciência da prática

Maio de 2010 - David Cameron se torna primeiro-ministro britânico e Coulson é nomeado seu chefe de comunicações

Janeiro de 2011 - Polícia britânica reabre investigação sobre grampos telefônicos ilegais. Coulson renuncia ao cargo no gabinete de Cameron

AP
Tabloide News of the World publicou última edição em 10/7, depois de 168 anos
Abril - O chefe de reportagem Neville Thurlbeck e o ex-editor Ian Edmondson do tabloide são presos sob acusações de escutas telefônicas ilegais. Eles são suspeitos de terem conspirado para interceptar mensagens telefônicas de celebridades e outras figuras públicas

Maio - O News of the World aceita pagar 100 mil libras (R$ 248 mil) mil por indenização à atriz Sienna Miller , que processava o tabloide por ter grampeado seu telefone

Junho - O tabloide aceita novamente pagar indenização, desta vez ao ex-jogador de futebol e comentarista de esportes Andy Gray

4 de julho - O jornal britânico The Guardian publica reportagem dizendo que o telefone da garota de 13 anos assassinada em 2002 Milly Dowler havia sido grampeado pelo News of the World quando Brooks ainda era editora do tabloide. Sob pressão, Brooks se recusa a renunciar ao comando da News International, dizendo que não sabia sobre as escutas

5 de julho - Anunciantes boicotam o News of the World

6 de julho - O tabloide é acusado de grampear telefones de vítimas dos atentados de 7 de julho de 2005, em Londres. Segundo denúncia do jornal The Daily Telegraph, telefones de parentes de soldados britânicos mortos também teriam sido grampeados pelo tabloide. Números de parentes foram encontrados nos arquivos do investigador Glenn Mulcaire

7 de julho - A News International anuncia que o tabloide News of the World irá parar de circular depois de 168 anos

8 de julho - Coulson é detido em meio ao escândalo, mas não é formalmente acusado. Goodman é detido novamente, desta vez por dar proprina à polícia. O premiê David Cameron anuncia abertura de um inquérito e promete novas regras para a imprensa britânica

10 de julho - O tabloide News of the World publica sua edição final depois de 168 anos de circulação . Rupert Murdoch viaja a Londres para tentar manejar a crise

11 de julho - Governo britânico remete a oferta da News Corp. pela TV British Sky Broadcasting - a BSkyB, a maior plataforma de televisão por satélite britânica - a autoridades de concorrência para que seja revista. Jornais The Sun e The Sunday Times, também parte da News Corp., são suspeitos de ter grampeado telefones do ex-premiê britânico Gordon Brown e membros de sua família, quando o político trabalhista era ministro das Finanças. Ex-premiê pede investigação

12 de julho - Pressionado pela oposição trabalhista, Cameron pede que Murdoch desista de comprar a BSkyB

13 de julho - A News Corporation, do magnata australiano Rupert Murdoch, retira oferta de compra da operadora de TV a cabo britânica BSkyB

AP
Rebekkah Brooks renunciou após pressão por escândalo de grampos ilegais (foto de arquivo)
14 de julho - O News of the World é suspeito de ter grampeado também Alex Pereira, um dos primos do brasileiro Jean Charles de Menezes , morto por engano pela polícia britânica em 2005. Murdoch e seu filho James, presidente da News Corp. na Europa e Ásia, concordam em prestar depoimento a uma comissão parlamentar sobre o caso, depois de inicialmente ter se negado. Em entrevista ao The Wall Street Journal, que também faz parte de seu conglomerado de mídia, o magnata australiano defende a portura News Corp. diante do escândalo. Nos Estados Unidos, o FBI anuncia abertura de uma investigação sobre possíveis escutas ilegais de vítimas do 11 de Setembro

15 de julho - Brooks renuncia como chefe-executiva da News Internacional , cargo em que é substituída por Tom Mockridge, ex-diretor de negócios da TV Sky Italia da News Corp. Les Hinton , antigo diretor da News International e chefe-executivo da Dow Jones, parte da News Corp. que também detém o Wall Street Journal, renuncia. Hinton foi editor-executivo da News International, entre 1995 e 2007, período em que o tabloide monitorou milhares de pessoas, incluindo políticos e celebridades. Murdoch se encontra com parentes da garota Mily Dowler , a quem pede desculpas pelas escutas ilegais

16 de julho - A News Corp. publica página inteira em sete jornais britânicos pedindo desculpas pela conduta errada do News of the World

17 de julho - Brooks é detida no Reino Unido. O chefe da Scotland Yard, Paul Stephenson , renuncia depois de ser fortemente criticado por contratar Neil Wallis como consultor de comunicação. Murdoch publica novo anúncio em jornais britânicos sobre o empenho em consertar o que foi feito errado

18 de julho - John Yates, subcomissário da Scotland Yard, renuncia ao cargo. Ele se disse arrependido por não ter reaberto uma investigação sobre o tabloide em 2009, por considerar que não havia novas evidências de irregularidades. Sean Hoare , ex-repórter de showbiz do News of the World que foi o primeiro jornalista a alegar que Coulson estava ciente das escutas ilegais por sua equipe, é encontrado morto

19 de julho - Rupert Murdoch, seu filho James e Rebekah Brooks prestam depoimento ao Comitê de Mídia do Parlamento britânico sobre escutas ilegais

AP
James e Rupert Murdoch prestam depoimento no Comitê de Mídia do Parlamento britânico

*Com AP

    Leia tudo sobre: gramposnews of the worldgrã-bretanharupert murdoch

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG