Veja como vai funcionar o pacote do governo dos EUA

Agora que o presidente dos EUA, George W. Bush, sancionou o pacote de US$ 700 bilhões de ajuda às instituições financeiras em risco, surge uma nova pergunta: como ele vai funcionar? O plano é para que os bancos vendam suas ações baseadas em hipotecas em uma série de leilões.

BBC Brasil |

Mas isto não deve acontecer em menos de um mês.

Isto acontece porque empresas de financiamento privadas serão contratadas para conduzir o processo. Pelo menos dez empresas de gestão de ativos serão usadas pelo Tesouro dos EUA no processo.

O Tesouro também vai precisar convocar um grupo para estabelecer as regras do processo de leilões para se assegurar que as empresas que vão organizá-los não abusem de sua posição.

Leilões
Deve haver um grande interesse no primeiro leilão para se observar se ele funciona e se compradores privados se interessam pelos ativos podres.

O Tesouro tem US$ 700 bilhões para gastar nesses leilões, mas espera que surjam compradores privados para os ativos.

Uma grande empresa de investimentos dos EUA afirma que há um grande montante de capital privado disponível para comprar estes papéis podres baseados em hipotecas agora que o Tesouro colocou uma garantia no mercado com o plano.

Se o processo de leilão for típico, então os compradores oferecerão o preço que querem pagar pelos papéis que os interessam e estas ações serão dadas para os compradores pelo maior preço que garanta que elas sejam vendidas.

Os bancos tipicamente marcaram os preços de suas ações baseadas em hipotecas em 20% abaixo do valor de face.

Assim, para que os bancos tenham algum rendimento, o processo de leilão terá que obter um preço mais alto que US$ 0,20 para cada dólar.

Se nenhum comprador privado se interessar em pagar o preço no leilão, então o Tesouro terá que usar o dinheiro do contribuinte para pagar o valor de maturação, acima do valor de mercado, por esses papéis podres, com a esperança de que eles se valorizem no próximo ano.

O principal indicador para saber se o plano está funcionando ou não é o que vai acontecer com as taxas que os bancos cobram uns aos outros para emprestar dinheiro, a taxa interbancária. Atualmente elas estão muito altas.

Bancos não querem emprestar para outros bancos quando não têm certeza em que tipo de papéis podres eles estão fundados.

Se o processo de leilão ajudar a colocar um preço razoável nesses ativos e tirá-los nas folhas de balanço dos bancos, as taxas interbancárias devem diminuir, facilitando o fluxo de crédito na economia.

É um processo complexo. A aprovação do plano é só o começo e só saberemos se ele está funcionando daqui alguns meses.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG