Vaticano inaugura amanhã novo sistema de uso de energia solar

Roma, 25 nov (EFE).- O Vaticano inaugurará amanhã sua nova instalação de captação de energia solar para alimentar a Sala Paulo VI e os edifícios adjacentes com 300 megawatts anuais de luz elétrica limpa, o que evitará a emissão de 225 mil quilos de gás carbônico e economizará o equivalente a 80 toneladas de petróleo.

EFE |

"Primeira audiência geral ecológica no Vaticano", diz hoje o jornal do Vaticano "L'Osservatore Romano", para anunciar que amanhã entrarão em funcionamento os painéis solares instalados sobre o teto do edifício e os benefícios que isso representará para o pequeno Estado pontifício.

A Sala Paulo VI, com capacidade para sete mil pessoas, é utilizada pelo papa para sua tradicional audiência das quartas-feiras, quando não acontece ao ar livre na Praça de São Pedro.

O gerador fotovoltaico começou a ser instalado em setembro do ano passado e é constituído por 2.400 módulos colocados em substituição dos antigos painéis de concreto de modo a preservar o aspecto estético original do grande espaço desenhado pelo arquiteto Pier Luigi Nervi, segundo o jornal vaticano.

Desde que se tornou papa, Bento XVI falou em defesa do meio ambiente, e há alguns meses o Estado pontifício aceitou um presente da empresa americana Planktos Inc e a húngara Klimafa: a plantação em 2008 de uma floresta em território húngaro que compensará as emissões de CO2 dos cerca de mil habitantes da pequena região.

Desta maneira, o Vaticano, com um território de meio quilômetro quadrado, se transformará, embora virtualmente, no primeiro Estado com emissão zero no planeta. EFE ccg/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG