Cidade do Vaticano, 10 jan (EFE).- O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, disse hoje que a estabilidade da família está sendo minada por uma mentalidade difusa, que reconhece a união entre um homem e uma mulher como a base fundamental da sociedade humana.

"A família está em dificuldade em nosso tempo: uma mentalidade difusa mina sua estabilidade, negando o valor de um compromisso durável", afirmou Lombardi, que falou sobre o assunto à "Rádio Vaticano" em virtude do 6º Encontro Mundial da Família, que acontecerá na Cidade do México entre 14 e 18 de janeiro.

Para o porta-voz do Vaticano, essa "mentalidade difusa" não reconhece o "caráter privilegiado" da "união fértil entre um homem e uma mulher" como "célula fundamental da sociedade humana".

"A Igreja Católica se posicionou com decisão do lado da família e não poupa intervenções a seu favor, sob o risco de parecer insistente e, inclusive, impopular", disse Lombardi.

Segundo o porta-voz do Vaticano, com esta defesa do modelo tradicional da família, a Igreja Católica não busca benefício próprio, mas o dos homens e das mulheres de hoje e de amanhã.

"A maioria das crianças cujos pais não estão unidos não é feliz, ou pelo menos tem maiores dificuldades para sê-lo. Muitas pessoas sozinhas ou separadas não são felizes", comentou Lombardi.

"No entanto, uma família unida pelo amor é, além de um lugar de felicidade para seus membros, um lugar de amparada (...) para os menos afortunados", acrescentou. EFE mcs/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.