Vaticano diz que papa não tem relação com caso de padre pedófilo de Munique

Cidade do Vaticano, 12 mar (EFE).- O Vaticano esclareceu hoje que o papa Bento XVI não tem relação com o caso do padre pedófilo alemão transferido para o Arcebispado de Munique na época em que o pontífice era seu titular.

EFE |

O porta-voz vaticano, Federico Lombardi, manifestou tal posição em comunicado depois que o jornal alemão "Süddeutsche Zeitung" informou hoje que na década de 80, quando Bento XVI era arcebispo de Munique e Freising, autorizou que um sacerdote com antecedentes de pedofilia e que tinha sido expulso por esse motivo do bispado da cidade alemã de Essen, conduzisse atividades pastorais em Munique.

Lombardi ressaltou que a arquidiocese de Munique-Freising já "explicou" os fatos em comunicado divulgado hoje, no qual diz que o então vigário geral da diocese alemã, Gerhard Gruber, assumiu "a plena responsabilidade" pelo ocorrido.

"Evidentemente o vigário não seguiu as indicações do então arcebispo Joseph Ratzinger, que tinha definido que o sacerdote não desenvolveria atividade pastoral alguma", disse Lombardi. EFE jl/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG