Vaticano: bispo Williamson deve renegar suas declarações sobre o Holocausto

O bispo integrista negacionista Richard Williamson deve se distanciar de forma inequívoca e pública de suas declarações sobre a negação do Holocausto antes de ser readmitido em suas funções episcopais na Igreja católica, indicou nesta quarta-feira o Vaticano em um comunicado.

AFP |

O Vaticano assegurou ainda que as declarações feitas pelo religioso não eram de conhecimento do Papa Bento XVI no momento em que suspendeu a excomunhão dos quatro bispos integristas da fraternidade sacerdotal São Pio X.

As declarações negacionistas do bispo e a decisão do Papa em suspender a excomunhão dos religiosos causaram a indignação entre associações judaicas e católicas.

Na véspera, a chanceler alemã, Angela Merkel, criticou o esclarecimento feito pelo Vaticano sobre a reabilitação de um bispo.

"Em minha opinião, esse esclarecimento é totamente insuficiente", declarou Merkel.

A chefe do Governo alemão se referia às declarações do cardeal alemão Walter Kasper, que admitiu os 'erros' de gestão e comunicação do Vaticano no escândalo desatado pela suspensão da excomunhão do bispo.

"Certamente, houve erros de gestão por parte da cúria romana", declarou o religioso, que é presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, em entrevista à Rádio do Vaticano.

No final de janeiro, o Papa alemão Bento XVI suspendeu a excomunhão do bispo britânico Richard Williamson, que negou na televisão sueca a existência das câmaras de gás nas quais os nazistas mataram seis milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

str/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG