Vaticano analisa situação de mulheres afegãs

Cidade do Vaticano, 16 abr (EFE).- No dia seguinte ao protesto de um grupo de mulheres em Cabul, o Vaticano publicou um artigo denunciando a deterioração da situação da população feminina no Afeganistão.

EFE |

"Não é segredo que os exércitos aliados não têm mais controle sobre os grupos extremistas que estão reconquistando o poder. Isso ocorre sobretudo nas províncias mais distantes de Cabul, onde as condições de vida das mulheres voltaram a ser como na época dos talibãs", disse hoje a Santa Sé através de seu diário "L'Osservatore Romano".

"As mulheres voltaram a usar burka e, para as meninas, é impossível ir à escola", acrescentou.

O jornal ouviu uma princesa afegã que vive em Roma. Para ela, a pobreza é um dos principais problemas das mulheres do país.

"A pobreza extrema é o principal problema das mulheres afegãs, ao lado da falta de respeito dos homens. Há mulheres doentes, com lepra, presas sem direito a banho ou comida suficiente. Estão no patamar mais baixo de uma cadeia de miséria", disse. EFE jl/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG