Vaticano abre assembléia de bispos ao mundo judeu

Os bispos de todo o mundo, que participam de um sínodo no Vaticano, destacaram hoje a importância do diálogo com os judeus e os muçulmanos e ouviram pela primeira vez um religioso judeu falar de Deus dentro dos palácios apostólicos.

AFP |

"Minha presença no Sínodo é um sinal de esperança, uma mensagem de amor, de convivência e paz para as nossas e as próximas gerações", afirmou o grã-rabino de Haifa (Israel), Shear Yshuv Cohen, ante más de 300 bispos, observadores e especialistas em assuntos bíblicos que assistem à reunião, no Vaticano.

O religioso judeu, que conhece de cor a Torah, a lei mosaica e o livro que a encerra, o Pentateuco, recordou "a longa história de sangue e lágrimas" que marcou as relações entre o povo judeu e os líderes da igreja Católica.

O Papa Bento XVI também falou hoje ante os bispos sobre a crise financeira mundial, que demonstra a futilidade do sucesso e do dinheiro.

"Quem constrói sobre as coisas visíveis que pode tocar, como o sucesso, a carreira ou o dinheiro, está construindo sobre areia", declarou Bento XVI. "Estamos vendo agora com o afundamento dos grandes bancos que este dinheiro desaparece, que não é nada; "Só a Palavra (de Deus) é sólida, ela é a verdadeira realidade", afirmou.

kv/app/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG