Bruxelas, 24 abr (EFE).- O ex-presidente francês Valéry Giscard dEstaing dá a entender em entrevista publicada hoje pelo jornal belga Le Soir que poderia se candidatar ao cargo de primeiro presidente estável da UE quando o Tratado de Lisboa entrar em vigor, provavelmente no dia primeiro de janeiro de 2009.

O perfil ideal do presidente da União Européia (UE) que Giscard, de 82 anos, descreveu na entrevista, se aproxima muito do seu, mas o ex-líder francês, que presidiu a Convenção Européia, não confirma nem desmente explicitamente sua candidatura.

Giscard descreve dois possíveis tipos de candidatos para este cargo: o primeiro seria o "grande instalador, um homem ou uma mulher com experiência que cumpriria provavelmente apenas um mandato de dois anos e meio, que instalaria o sistema, estabeleceria as regras e o clima, à maneira de George Washington em seu primeiro mandato".

O segundo seria o do "presidente operacional, que encorajaria o sistema e que daria o impulso necessário" e nesta categoria Giscard apresenta a chanceler alemã, Angela Merkel, "origem dos grandes compromissos do ano passado" e o anterior primeiro-ministro belga, Guy Verhofstadt, artesão da Declaração de Laeken, que abriu o processo constitucional europeu.

Entretanto, Giscard dá mostras de sua preferência por um candidato que corresponda ao primeiro perfil, "com uma missão simbólica e emblemática". EFE vl/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.