Valenzuela exige que Argentina devolva material confiscado "imediatamente"

Autoridades argentinas confiscaram parte da carga do avião americano no aeroporto de Ezeiza com "material qualificado como de guerra"

EFE |

O secretário de Estado adjunto dos Estados Unidos para a América Latina, Arturo Valenzuela, disse nesta segunda-feira que é "absolutamente necessário" que a Argentina devolva "imediatamente" o material confiscado pelas autoridades argentinas em um avião da Força Aérea americana.

"Não houve nenhuma intenção de violar leis argentinas. Pelo contrário, o que se buscava era a disposição de ter um trabalho conjunto, respeitoso, construtivo. É absolutamente necessário que esses materiais sejam devolvidos imediatamente", disse Valenzuela em entrevista à emissora "CNN" em Espanhol.

"Não faz sentido que tenham expropriado materiais dessa forma, especialmente quando, como insisto, o que se estava realizando era um projeto de trabalho conjunto, autorizado por ambos os países, para encarar um tema tão importante como é o resgate de reféns", assinalou o diplomata.

Na quinta-feira passada, as autoridades argentinas confiscaram parte da carga do avião americano que chegou ao aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires, com "material qualificado como de guerra", destinado a um curso conjunto sobre segurança para a Polícia.

O incidente causou tensão entre Washington e Buenos Aires, mas Valenzuela criticou nesta segunda-feira a Argentina por ter reagido com "acusações desmesuradas", levando em conta que os dois países têm boa cooperação em assuntos de defesa e segurança cidadã.

Segundo a versão argentina, a inspeção da Alfândega e da Polícia de Segurança Aeroportuária (PSA) detectou diferenças entre o material declarado e a carga, composta por armas, drogas - incluindo doses de morfina - e computadores com informações qualificadas como "secretas".

Valenzuela explicou que "os remédios são usados pelas pessoas quando estão fazendo este tipo de exercícios porque pode haver acidentes. É óbvio que há muito material de preparação, mas não é nada fora de ordem".

O subsecretário acrescentou que as autoridades dos Estados Unidos decidiram suspender o curso, porque "a forma como amedrontaram o pessoal americano foi uma coisa improcedente".

Valenzuela reiterou que, para resolver a situação atual, primeiro a Argentina tem que devolver o material apreendido e, posteriormente, os países devem "virar a página" para continuar colaborando em temas de interesse comum.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG