Usuários do Facebook pelo mundo apoiam protestos contra Chávez

Bogotá, 27 ago (EFE).- Usuários da rede social Facebook de Colômbia, Venezuela, Estados Unidos, Israel, Canadá, Peru, Equador, Espanha e França apoiarão o protesto mundial No Más Chávez, convocado por meio desta plataforma virtual para o próximo dia 4, disseram hoje em Bogotá os responsáveis pela iniciativa.

EFE |

O colombiano Óscar Morales criou uma conta no serviço de microblogging Twitter, um grupo no Facebook e uma página de seguidores na qual voluntários de diversos países já se registraram para coordenar passeatas em suas respectivas cidades.

Morales explicou à Agência Efe que foi contatado por vários grupos de jovens indignados pelas declarações que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, fez no último dia 23 em seu programa dominical "Alô, Presidente".

"Isto já passou de ser uma briga entre presidentes. Nos últimos dois anos, Chávez dedicou a Uribe todo tipo de insultos e grosserias, mas agora insulta também o povo colombiano e o acusa de ser vendido e traidor", comentou.

As supostas acusações de Chávez fazem parte do quadro de crise diplomática entre Venezuela e Colômbia surgido após o anúncio de que Bogotá e Washington negociavam um acordo que permitirá o uso de bases militares colombianas por tropas americanas.

Morales denunciou a arbitrariedade das ordens do venezuelano em matéria de comércio bilateral e lembrou que, em uma recente aparição pública, Chávez convidou os colombianos a aderir a sua doutrina política, Segundo o organizador dos protestos, os manifestantes pretendem "dar um choque de opinião" e mostrar a Chávez que "a América Latina já se cansou de seus insultos e grosserias".

"Em 4 de setembro, ao meio-dia, estaremos fazendo uma convocação simultânea para que todos saiam às rua com panelas, e façamos um 'panelaço' no melhor estilo de Caracas", disse Morales. EFE agp/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG