Uso excessivo de celular pode causar urticária, dizem especialistas

Dermatologistas britânicos alertam que o uso excessivo de telefone celular pode causar urticária na face e na orelha dos usuários por causa de uma reação alérgica ao metal utilizado na fabricação do produto. Segundo os especialistas da Associação Britânica de Dermatologistas, o níquel encontrado nos celulares e nas capas de proteção do telefone causam alergia em algumas pessoas.

BBC Brasil |

O níquel é usado nos aparelhos, capas de proteção e botões, especialmente nos modelos mais novos e modernos.

A reação alérgica está sendo chamada de "dermatite do celular". Os especialistas alertam que, já que a condição foi identificada recentemente, muitos casos permanecem sem tratamento e recomendam que as pessoas e médicos prestem atenção com urticárias que venham a aparecer na região da face.

A reação alérgica ao níquel é a alergia de contato mais comum na Grã-Bretanha e atinge cerca de 30% da população. As mulheres seriam mais suscetíveis a desenvolver a dermatite do celular, pois têm mais chances de já terem sofrido reação ao metal por causa do uso de acessórios fabricados com níquel.

"A alergia resulta de contato freqüente da pele com objetos que contém níquel. Contato prolongado ou repetido com um telefone que contém níquel é a causa mais provável da reação da pele naqueles que são alérgicos", afirmou Graham Love, da Associação Britânica de Dermatologistas.

"Se você já teve uma reação anterior a fivelas cobertas com níquel ou outros assessórios, por exemplo, terá um risco maior de reagir a telefones com o metal."
Mensagens de texto
De acordo com Graham Love nos casos de "dermatite do celular, a urticária vai ocorrer tipicamente na face ou na orelha, dependendo de onde a parte de metal do telefone entra em contato com a pele".

"Teoricamente, (a urticária) pode até ocorrer nos dedos, se a pessoa passa muito tempo enviando mensagens de texto nos botões de metal", afirmou.

"Para os doutores vale a pena lembrar deste problema quando examinarem um paciente com uma urticária na face ou orelha que não tem nenhuma outra explicação", acrescentou.

Em um outro estudo, publicado no início de 2008, médicos americanos testaram para a presença de níquel 22 celulares de oito marcas diferentes, e encontraram o metal em dez dos telefones.

"Os botões do menu, logotipos decorativos nos telefones e as molduras metálicas em volta das telas de LCD eram os locais mais comuns (onde o níquel foi encontrado)...", afirmou Lionel Bercovitch, um dos autores da pesquisa da Universidade Brown de Rhode Island.

"Devido ao uso tão popularizado de telefones celulares, a presença do metal no revestimento externo destes telefones e a alta preponderância da sensibilidade ao níquel na população, não surpreende que os telefones celulares possam causar dermatite de contato alérgica", acrescentou.

Outros casos
Vários outros casos já foram relatados, o que levou a Associação Britânica de Dermatologistas a dividir informações com outros médicos.

Um porta-voz da associação que representa a indústria de telefonia celular na Grã-Bretanha, a GSM Association, afirmou que existe uma diretriz da União Européia para regulamentar a quantidade de níquel e que visa proteger os usuários de pele sensível.

O porta-voz recomendou o uso dos fones de ouvido ou kits handsfree para diminuir o risco de uma reação alérgica.

    Leia tudo sobre: celular

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG